quarta-feira, 6 de agosto de 2014

José Cid, 10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte

(P) Em 1977, José Cid, então estrela da rádio e televisão com passado de destaque na história da pop portuguesa através da sua carreira com o Quarteto 1111, apareceu na sua editora com uma ideia. Queria gravar um álbum nos antípodas das suas canções que iam então escalando os topes e fazendo o caminho na inscrição na memória colectiva. Um álbum conceptual inspirado no rock progressivo dos Pink Floyd, King Crimson ou dos Genesis, história de redenção pós-apocalíptica contada ao sabor do som do Mellotron, um dos sintetizadores que fez o som da música de então. 

10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte, assim se intitulou o álbum, gravado com Zé Nabo, na dupla função de baixista e guitarrista, com o guitarrista Mike Sergeant ou o baterista Ramon Galarza, e editado em 1978. À época, vendeu menos de mil exemplares. Passo a passo, porém, foi ganhando lugar de culto na melomania do progressivo (nacional e não só). Passo a passo, tornou-se uma espécie de mito na carreira de Cid – o álbum que gera mais curiosidade, o álbum que seria reeditado em 1994 pela editora especializada Art Sublime, crescendo em reconhecimento até surgir em listas de melhores de sempre na imprensa internacional.

No próximo sábado essa pequena pérola perdida do prog rock será executada na íntegra no programa de rock. Agradeço a Marcio Barcellos por ter indicado. 

Abaixo, Ficha técnica, links para download e as letras das músicas - o álbum é conceitual - para você acompanhar melhor a história ... 

A sétima faixa, "Memos", é instrumental.

Tracks:
1. O Ultimo Dia Terra (4:24)
2. O Caos (5:50)
3. Fuga Para O Espaco (8:09) 
4. Mellotron O Planeta Fantastico (6:43)
5. 10,000 Anos Depois Entre Venu E Marte (6:03) 
6. A Partir Do Zero (4:44)
7. Memos (2:22) 
Bonus Track:
8. Vida (Sons Do Quotidiano) (12:41)
Total Time: 50:56 

Musicians:
- José Cid / pianos, synthesizers, strings, Mellotron, vocals
+
- Josi Carrapa / guitar (8)
- Ramon Gallarza / drums, percussion (1-7)
- Zé Nabo / bass (all), guitars (1-7)
- Guilherme Scarpa Inãs / drums, percussion (8)
- Mike Sergeant / guitars (2) 

Format: mp3 (320 kbps) = 119 mb = Mega
Format: ape (image + cue) = 287 mb = Torrent

senha: progsounds

1. O último dia na terra

Entre a bruma densa da manhã que quer romper
O planeta Terra já não pode mais viver

Uma núvem de cimento e de betão
Que lhe rouba a luz e a razão
Guerras nucleares, poluição
Nunca mais verá o sol

E a bruma azul continua a avançar
A humanidade já não pode respirar

Nunca mais verá o sol

2. O Caos

Toda a gente corre pela estrada comum
Todos os caminhos vão a lugar nenhum
Se tiveres que fugir, foge
Se tiveres que morrer, morre

A tua cidade é uma vala comum
Todos os caminhos vão a lugar nenhum
Se tiveres que fugir, foge
Se tiveres que morrer, morre

A tua cidade é uma vala comum
Todos os caminhos vão a lugar nenhum
Se tiveres que morrer, morre
Se tiveres que fugir, foge

Já nenhum caminho borda o horizonte
Com que os homens sonharam
Sem como nem porquê
Sem como nem porquê
A vida morre defronte
E a morte é aquilo que se vê

Vimos pouco a pouco o mundo acabar
E ficámos calados
Não se ouviu um grito
Não se fez um gesto
Nem a própria ruína
Nos conseguiu manter acordados

Toda a gente corre para a vala comum
Todos os caminhos vão a lugar nenhum
Se conseguires fugir, foge
Na tua nave no espaço

3. Fuga para o espaço

Vem amiga
Na nave que comando.
Esquece a noção do tempo
Não me perguntes quando.

Vem depressa
Antes que seja tarde.
Não olhes para trás
Já toda a Terra arde.

Marte é verde e Mercúrio brilha
Entre Vénus e Centauro.
Plutão é branco e ponto de paragem
Na viagem pelo Céu.

Na cabine central
Emiti um sinal.
No ecrã tudo a andar
Tudo indica normal.

Marte é verde e Mercúrio brilha
Entre Vénus e Centauro.
Plutão é branco e ponto de paragem
Na viagem pelo Céu.

Na cabine central
Emiti um sinal.
No ecrã tudo andar
Tudo indica normal.

4. Mellotron, o planeta fantástico

Para onde vou
Que caminhos seguir
A quem me dirigi
Que palavras usei

Eu não sou daqui
Da multidão fugi
De que sonho acordei
Só eu sei


E quando parti
Da Terra que deixei
Só tu me acompanhaste
Mais ninguém

Eu não sou daqui
Da multidão fugi
De que sonho acordei
Só eu sei

5. 10.000 Anos depois entre Vênus e Marte

Podes ver
10.000 anos depois
No ecrã do radar
Entre Vénus e Marte
Um planeta vazio
À espera que o descubram
Onde recomeçar
Outra civilização

6. A partir do zero

Vamos voltar do infinito do além
A um planeta que deixamos para trás.
A partir do zero, renascer, reencontrar
O ar, o mar, a terra, o sol, o amor, a paz.

#

3 comentários: